PONTAL DE CACILHAS: Novembro 2006

quinta-feira, novembro 30, 2006

SESIMBRA, LOCALIZAÇÃO

Photobucket - Video and Image Hosting

O concelho de Sesimbra forma aproximadamente um quadrado delimitado por Almada, Seixal e Barreiro a norte, Palmela e Setúbal a leste e pelo Oceano Atlântico a sul e a oeste.
Sesimbra apresenta-se como um dos primeiros pontos de encontro do Continente Europeu com o Oceano Atlântico e é privilegiado pela proximidade com os dois estuários, do Tejo e do Sado.
Conta com uma área de 206 km2 distribuída por três freguesias: Santiago, Castelo e Quinta do Conde.

Região de Setúbal Online

segunda-feira, novembro 27, 2006

VISTA AÉREA DA COSTA DA CAPARICA, COSTA AZUL

Photobucket - Video and Image Hosting
Photo Jaime Silva

quinta-feira, novembro 23, 2006

ALGUNS DIZERES SOBRE ... A COSTA AZUL



Na Costa Azul um tempo de praia e litoral.
Costa da Caparica, Melides e Tróia afirmam o espaço sem limites, o areal a perder de vista.
Portinho da Arrábida e Porto Covo revelam a escala intimista da pequena praia.
Sesimbra testemunha o modo português de viver o mar.

Na Costa Azul o Atlântico realiza a praia.
Praia enorme onde as dunas enfrentam o mar.
Praia discreta no encontro da serra, do verde da Arrábida, com o oceano.
Para além das diferenças aparentes a praia marca uma atitude, define um modo de estar, permite o encontro entre as férias e o litoral.
Na Costa Azul o Verão. As cores quentes e os dias longos dão outro sentido aos espaços onde se afirma a originalidade da nossa região.
No sul o sol. 0 mar, azul e vasto, e o areal firme e tranquilo.
Destas diferenças, fazemos um convite, uma proposta: um sonho de Verão na Costa Azul.

Azeitão.netl

sexta-feira, novembro 17, 2006

MONTE DA XICA, ZAMBUJEIRA DO MAR, COSTA AZUL



A cerca de 200 Km da cidade de Lisboa, em pleno Parque Natural da Costa Vicentina, no Sudoeste Alentejano, encontra-se o “Monte Fonte Nova da Telha” (Monte da Xica).
Perfeitamente enquadrado na paisagem rural Alentejana, o monte proporciona-lhe com simplicidade e comodidade as condições necessárias a umas férias de lazer e o contacto directo com a natureza.
A poucos Km terá ao seu dispor as famosas praias da região assim como os principais centros rurais e piscatórios (S. Teotónio, Zambujeira do Mar e Azenhas do Mar).
A hospitalidade, o bom gosto das quartos e das zonas sociais, convidam ao descanso ou a um banho de piscina . Nas zonas circundantes pode optar por um passeio pedestre ou em BTT.
Sendo uma das maiores reservas naturais da Europa, com uma riquissima biodiversidade, a região torna-se num verdadeiro paraíso para os praticantes de mergulho e para os observadores de aves.

quinta-feira, novembro 16, 2006

MONTE DA LAGOA, MELIDES, COSTA AZUL



O Monte da Lagoa está localizado em Melides, litoral alentejano, a 126 quilómetros a sul de Lisboa.
O Monte disponibiliza três alojamentos, em regime de férias ou de fins de semana.
Melides é uma aldeia sossegada... pescadores, pequenas lojas, esplanadinhas pacatas...
Um cantinho reservado aqueles que apreciam a natureza e o sossego.

quarta-feira, novembro 15, 2006

PASSEANDO NO PORTO BRANDÃO


Photo Antonio Mendonça

terça-feira, novembro 14, 2006

PASSEANDO NO SAMOUCO


Photo Rui Pedro Santos

domingo, novembro 12, 2006

PASSEANDO NA ANTIGA ALDEIA GALEGA ... MONTIJO





Photos Desconhecido

sábado, novembro 11, 2006

SEIXAL, TURISMO



Os moinhos de maré, estaleiros, indústrias tradicionais, núcleos históricos urbanos, baía natural, praias fluviais, sapais, hortas urbanas e zonas urbanizadas são algumas das razões para visitar o concelho do Seixal.
Nos moinhos de maré destacam-se o Núcleo do Moinho de Maré de Corroios, integrado no Ecomuseu como Núcleo do Património Industrial, o Moinho da Raposa, junto à Torre da Marinha, o do Galvão, o do Capitão, o da Passagem e o da Torre, todos defronte ao Seixal.
As recuperadas embarcações do Tejo, outrora utilizadas nas actividades fluviais e piscatórias, como o Bote de Fragata "Gaivotas" e o Varino "Amoroso", são outras alternativas de passeio que o concelho seixalino proporciona aos seus habitantes e visitantes.
A não perder também alguns dos belos jardins do concelho, como o da Quinta da Fidalga, o da Quinta da Trindade ou o da Quinta da Atalaia.
Para uma vista panorâmica sobre Lisboa, a baía do Seixal, Barreiro, Corroios e Miratejo, basta visitar o Miradouro do Alto de D. Ana, na cidade sede do concelho.Algumas das festas tradicionais do Seixal, são as Festas de São Pedro, realizadas no princípio de Julho, e as Festas da Amora, no mês de Agosto.A oferta gastronómica da zona assenta sobretudo em pratos de peixe e marisco, com especial destaque para Caldeirada de peixe, a Feijoada de choco e as enguias, confeccionadas em ensopado ou simplesmente fritas. Na doçaria destaca-se a delícia de laranja e o doce de grão.

Região de Setubal Online

sexta-feira, novembro 10, 2006

SEIXAL, PATRIMÓNIO



No concelho de Seixal, além dos seus bens naturais acentuados, é o património edificado que possui muitas maravilhas da história do concelho.
Começando pelo Ecomuseu, uma entidade composta por nove núcleos espalhado por todo o concelho, entre os quais:O Núcleo do Moinho de Maré de Corroios, cujo interior alberga os elementos ligados à moagem de cereais, recebe ainda exposições temporárias e outras actividades culturais.
O Núcleo Sede da Torre da Marinha, que além das exposições também comporta um Centro de Documentação e Informação e os Serviços Educativos.
O Núcleo Naval da Arrentela, situado num antigo estaleiro, possui um espaço dedicado à construção artesanal de modelos de barcos do Tejo.
O Núcleo da Quinta da Trindade revestido de painéis com azulejos, possui uns belos jardins.A Quinta do Rouxinol, monumento nacional, onde se podem visitar os fornos de cerâmica romanos, dos séculos II e IV.
A Fábrica da Pólvora, situada em Vale de Milhaços, outro dos edifícios do Ecomuseu, dá a conhecer todo o circuito da pólvora negra e da máquina a vapor.
No seu acervo religioso pode-se destacar a Igreja Paroquial da Arrentela, reconstruída em 1759, depois de bastante destruída pelo terramoto de 1755.
Este templo desperta o interesse pelos trabalhos em estuque de cor ocre, em relevo, por cima da porta e janelas laterais.
No seu interior, possui um tecto com estuques polícromos do século XVIII, um altar-mor de talha dourada dos finais do século XVII.
As imagens de madeira e os azulejos setecentistas, azuis e brancos, com cenas da Vida da Virgem são outros atributos do monumento.
A Igreja Matriz, situada no Seixal, é outros dos monumentos históricos do concelho. No seu interior possui um altar neoclássico, dos finais do século XVIII.
As paredes da capela-mor são decoradas por quatro pinturas barrocas, e o tecto com pinturas de Pereira Cão, já dos inícios do século XX, privilegia a figura da Padroeira.

Região de Setubal Online

quinta-feira, novembro 09, 2006

SEIXAL, HISTÓRIA



As primeiras presenças humanas na zona do Seixal remontam ao período da pré-história, mas os vestígios conhecidos de ocupação mais antigos são da época romana.
Presume-se que tenha sido também ocupada por populações muçulmanas que aqui terão cultivado vinhas, olivais e figueiras.
Da história mais antiga da cidade do Seixal pouco ou nada se sabe, contudo pode afirmar-se que a sua origem reside num pequeno núcleo de pescadores e o seu nome está associado à grande quantidade de seixos existentes nas praias ribeirinhas.
Nos séculos XIV e XV, devido à sua baía abrigada, Seixal foi local escolhido para a instalação de estaleiros navais, actividade que se desenvolveu sobremaneira durante a época dos Descobrimentos e aí permaneceu durante alguns séculos.
Contudo, a actividade tradicional da população local continuou a ser a pesca.Na época de Quinhentos, o povoado do Seixal fazia parte da Arrentela.
Após a revolução liberal, sequência da reforma administrativa de 1836, no reinado de D. Maria II, o Seixal passa a ser um concelho.
Em 1895 o concelho é extinto, e as suas freguesias passaram a pertencer aos concelhos de Almada e Barreiro.
Três anos mais tarde, o concelho foi de novo recuperado.
A partir da segunda metade do século XIX, regista-se um aumento do desenvolvimento económico e industrial, com a instalação de unidades fabris de têxteis, vidro e cortiça.
Neste período, o Seixal passa a ser o principal centro corticeiro do país.Nos anos sessenta, a instalação da Siderurgia Nacional (1961) e a ponte sobre o Tejo (1966) foram as impulsionadoras do desenvolvimento económico do concelho, marcando notoriamente o crescimento demográfico e alterando profundamente as suas características urbanísticas.
A 20 de Maio de 1993, o Seixal é elevado a cidade.
A presença do Tejo neste concelho, nomeadamente na Baía do Seixal, condicionou o aparecimento de várias profissões, como a pesca e a carpintaria que, durante anos, foram o principal modo de vida das populações, além da construção de moinhos de maré e estaleiros navais.

Região de Setubal Online

quinta-feira, novembro 02, 2006

SEIXAL, LOCALIZAÇÃO



O município do Seixal, pertencente à península de Setúbal, situa-se na margem sul do Tejo, e confronta, a sul, com o concelho de Sesimbra, a este com o do Barreiro, e a oeste com o de Almada.
O concelho do Seixal ainda apresenta um nível significativo de dependência em relação a Lisboa, cidade que lhe está ligada por via fluvial e ferrovia. Contudo, graças à sua localização central, mantém uma proximidade notável com quase todos os concelhos da margem sul do Tejo.
É constituído por uma extensa frente ribeirinha, que se desenvolve ao longo de um braço do Tejo, formando uma baía natural de elevado valor ecológico e paisagístico, que serve de local privilegiado para actividades de desporto e tempos livres.

Região de Setubal Online

quarta-feira, novembro 01, 2006

A DEGRADAÇÃO ... DO GINJAL


Photo Luis Villas